Gastronomia e informação na ponta dos dedos

“A maior rede social do mundo é o alimento”. Esta afirmação feita pelo chef brasileiro Alex Atala reflete exatamente o que hoje acontece quando relacionamos a tecnologia da comunicação e o universo gastronômico.816_comer1

A velocidade de reverberação de uma imagem que a internet hoje proporciona tem se tornado um grande aliado para chefs de cozinha como também para os apreciadores de boa comida. Da mesma forma, informações sobre produtos ou serviços relacionado à gastronomia também estão se beneficiando dos “toques na tela” de um celular. Chefs importantes como o próprio Alex Atala, e outros badalados como Massimo Bottura (ITA), Gaggan Anand (IND), Richard Blais (EUA), utilizam as redes sociais para divulgarem seus trabalhos. O mesmo acontece com restaurantes espalhados pelo mundo. Muitos destes ganham notoriedade através das suas redes sociais.

Um bom exemplo do uso da rede social à seu favor foi feito pelo chef dinamarquês René Redzepi (@reneredzepinoma). Quando fechou o restaurante Noma (@nomacph) para iniciar uma temporada no México em busca de novos sabores e experiências, seus seguidores puderam acompanhar todas as suas descobertas. Posteriormente, a construção do novo Noma, sua abertura e hoje seu funcionamento, também puderam ser acompanhados na internet.

Podemos dizer que a tecnologia das redes sociais é uma peça fundamental para que o mundo tenha acesso ao seu trabalho. Mas existe um outro lado, ”o lado negro da força”.

Usar as redes sociais para criar um personagem, um factoide, um produto que não existe, expõe para todo mundo uma propaganda enganosa que será muito fácil de ser analisada. Um restaurante faz uma publicidade de um prato usando fotos de pratos que não foram executados por eles, quando você vai lá, se depara com um “alienígena”. Se falarmos de cozinheiros, a coisa piora.  As redes sociais estão recheadas de tudo, menos deles cozinhando, queremos mais cozinheiros e menos blogueiros ou digital influencer. Alguns chefs se tornaram conhecidos e seus trabalhos reconhecidos através de uma rede social, pratos, pesquisas, prêmios, eventos, tudo que certificavam sua capacidade, podiam ser vistas pela rede digital. Lembro de uma passagem do filme “Chef” onde o uso da rede social acabou com a carreira de um cozinheiro famoso e da mesma forma, o uso das redes reconstruíram sua reputação.

Hoje ao chegar em um restaurante, antes do cliente pedir a carta de vinhos ou o cardápio, a primeira frase é: “qual a senha do wi-fi?”. Pode ter certeza, além de se comunicar, fotos dos pratos serão divulgados como um quadro de Leonardo da Vinci. Vale ressaltar que a escolha pelo conteúdo da publicação é de responsabilidade de quem assina a rede social. Seus benefícios e ônus, assim como o que eu escrevo aqui. É inegável que a rede de informação é hoje a mais rápida forma de disseminação de um trabalho ou carreira. Então…

Todos estão de olho na tela e a ponta dos dedos afiadas !