O hábito faz o Monge…

Este antigo ditado vale muito hoje. Nossos hábitos diários nos fazem, nos rotulam e criam uma “personalidade” que nos são atribuídas. Entre muitos rótulos, um em especial chama a atenção: a arrogância.

arrogante
adjetivo e substantivo de dois gêneros
  1. 1.
    que ou o que arroga.
  2. 2.
    adjetivo de dois gêneros
    que demonstra arrogância; soberbo, presunçoso.

Quando escolhemos ser cozinheiros assumimos o risco de ser testados o tempo inteiro. Nosso sanduíche de presunto e queijo não pode ter mais as bordas queimadas. Não podemos sentar na calçada e comer um cachorro-quente de rua. Somos cobrados o tempo todo. Dentro de uma cozinha profissional isso não muda, aliás piora. Não podemos falhar nenhum momento. Pratos impecáveis, sabores inigualáveis, tudo o que nos cerca tem que ser “perfeito”. Não existe um dia ruim. Somos vitrine. E vitrines levam pedradas.

Mas onde encaixa o termo arrogância ?

gordonComo descrevi acima, tudo tem que estar perfeito, esta perfeição nos faz ser exigentes, contestadores, colocadores, ter opinião para tudo. Porque ? Porque nosso dia-a-dia é assim. Há um hiato muito grande entre uma pessoa soberba e nossa realidade. O Chef Gaggan Anand diz: “na minha selva, eu sou o leão”. Presunção ou um lema de sobrevivência ? Se não mostramos os dentes, somos esmagados. Rapidamente substituídos e nada do que fazemos terá relevância. Para muita gente que não respira de verdade essa atmosfera ou conhece apenas superficialmente, não tem uma percepção o quão somos sozinhos nesta batalha.

“Do nada, me jogaram aos leões. Tive que rugir em alto e bom tom” – Jay Vaquer

O hábito faz o monge. Eu já fui chamado de arrogante, Cozinheiros próximos à mim relataram a mesma coisa. Então não se trata de personalidade. Quem nunca achou que o seu trabalho era melhor que do outro ? Quem nunca disse que sabia mais que o outro ? Até mesmo inconsciente você faz isso. Todos nós somos competitivos. Acordar já é uma competição. Competimos para chegar no trabalho e mostrar o melhor de nós. Imagine isso em um universo em que se formos “mais ou menos”, sucubimos. A cozinha é implacável, então precisamos gritar: “sabemos mais, somos os melhores, somos um produto”.

evernote-camera-roll-20160121-74157-pmO filme Burnt (Pegando Fogo) conta a história do Chef Adam Jones (Bradley Cooper), presunçoso, arrogante, sádico nas primeiras impressões, mas no decorrer da trama, percebe-se uma pessoa fragilizada, solitária. ”Há Força em Precisar dos Outros, Não Fraqueza”

O Escritor Luciano Cazz diz no artigo 8 coisas que você precisa saber sobre pessoas arrogantes que: “Quando nos deparamos com pessoas arrogantes, a impressão que temos é a de que elas se acham muito superiores a nós, mas a realidade pode ser exatamente inversa”. Os cozinheiros então sempre serão arrogantes.