Entrando numa fria

Estamos no verão. Sol, muito calor e em um país tropical  como o Brasil, nada melhor para se refrescar do que um delicioso sorvete. Pode ser aquele caro com come difícil de falar, o tradicional nacional, o da sorveteria do bairro (que crescemos degustando no fim da tarde nas férias escolares) e acompanhando à tendência gastronômica, os sorvetes artesanais e ditos “gourmet”.Header-Art-01

Pois bem, quem foi o abençoado que aliviou nosso calor em dias quentes ? Para muitos o sorvete surgiu em alguma cozinha de um país tropical mas não foi bem assim. São muitas as teorias, a tese mais aceita remota do chineses, cerca de 1.000 a.C. O sorvete era uma preparação que levava flocos de neve e pedaços de frutas ou calda de frutas. Ao longo do tempo a expansão territorial do ocidente rumo ao oriente apresentou aos europeu esta preparação.

cg_icream_63_200yPor volta do ano 340 a.C. Alexandre, o Grande, rei da Macedônia, levou o sorvete para a Europa, trazendo do Oriente uma mistura de salada de frutas embebida em mel que era guardada em potes de barro enterrados no chão e mantidos frios com a neve do inverno. No final da Idade Média, alguns historiadores atribuem ao mercador veneziano Marco Pólo, a chegada do sorvete na Itália.

O sorvete era à base de água e foi na Inglaterra, com o pâtissier DeMirco que o sorvete passou a ser preparado com a adição de leite ou seu creme, ovos e aromatizantes. O sorvete chegcg_johnsons_freezer_150ou aos Estados Unidos em 1770, levado pelo italiano Giovanni Bosio, e conquistou o paladar dos norte-americanos rapidamente. Foi nos Estados Unidos que o sorvete ganhou importância e o país se transformou no principal produtor e maior consumidor do mundo.

Graças à americana Nancy Johnson, tivemos a primeira máquina de sorvete industrial, uma maquina que funcionava com um congelador que ao girar uma manivela, ela agitava uma mistura de vários ingredientes. Na parte de baixo, havia uma camada de sal e gelo, que a congelava. A precursora das primeiras máquinas industriais de sorvete.

i-tested-11-of-new-yorks-most-popular-ice-cream-spots--heres-the-verdictO sorvete chegou ao Brasil através de Lourenço Fallas, em 1834 quando ele inaugura na cidade carioca duas casas. Depois em 1878 a cidade de São Paulo também passa a degustar o sorvete. A evolução do sorvete no Brasil foi lente, sendo feita de forma artesanal, a distribuição em escala industrial no País só aconteceu a partir de julho de 1941, quando, nos galpões alugados da falida fábrica de sorvetes Gato Preto, na cidade do Rio de Janeiro, sendo a primeira indústria brasileira de sorvete. Seu primeiro lançamento, em 1942, foi o Eski-bon, seguido pelo Chicabon. Seus formatos e embalagens eram revolucionários para a época. Duas décadas depois, a empresa mudou seu nome para Kibon.

A Associação Brasileira das Indústrias de Sorvetes (ABIS) acredita que o consumo no Brasil per capita é de 4,98 litros/ano. Para um país tropical é baixo se compararmos com países nórdicos, de clima frio, o consumo gira em torno de 20 litros por pessoa/ano. Aqui o dia 23 de setembro como o Dia nacional do Sorvete.

naom_5977227e13fab

O sorvete é um alimento nutritivo que contém proteínas, vitaminas A, B1, B2, B6, C, D, K, cálcio, fósforo, açúcares, gorduras vegetal e/ou animal, além de outros minerais essenciais a uma nutrição balanceada, podendo e devendo ser consumido o ano todo, pois é um alimento completo. Produtos à base de leite são apontados como ingredientes funcionais, com grandes benefícios à saúde. Os mais variados tipos de sorvetes podem atingir 135mg/100g de cálcio, o que os coloca numa posição privilegiada, principalmente para as pessoas que por hábito, gosto ou intolerância à lactose, não ingerem alimentos lácteos na quantidade necessária. Curioso que os médicos recomendam sorvetes para pacientes em processo de recuperação pós-operatório de cirurgias no nariz (adenóide), garganta (amídalas), cirurgias bucais ou dentárias devido a sua ação anestésica local.

Ou seja, o sorvete é completo, além de delicioso e nutritivo, não há quem resista, já pegou o seu ?

 

Fonte:
http://www.correiogourmand.com.br
http://www.abis.com.br

 

Vamos preparar uma sobremesa clássica utilizando Sorvete, Chantilly e Licor, o Baked Alaska.

baked-alaska_2000x1500Ingredientes

150g de bolo de baunilha esfarelado
750g de sorvete de chocolate
3 claras
1 ⅓ xícara de açúcar
30ml de licor de laranja (Contreau)

Modo de Preparo
Forre uma tigela, previamente coberta com filme pvc, com o farelo do bolo de baunilha.
Recheie com o sorvete de chocolate (ou outro sabor de sua preferencia), cobra com o restante do bolo e reserve na geladeira por pelo menos uma hora.
Em banho maria, misture as claras com o açúcar e siga mexendo até os cristais de açúcar se desmancharem. Retirar do fogo e bater na batedeira até obter um merengue liso.
Desenformar e cobrir o bolo com o merengue. Utilize uma colher para dar contornos ao chantilly. Na hora de servir, em uma taça, coloque o licor e acenda a chama com um fosforo, derrame o licor em chamas por cima do bolo (o efeito é incrível !)