Uma “mistura” de conhecimento (parte 01)

img_0579Nos próximos post, estarei contanto um pouco da minha aventura em terras peruanas, participando do evento MISTURA 2016, encontro gastronômico que acontece na cidade de Lima há nove anos.

hoccaEmbarquei no dia 4 de setembro primeiramente passando pela terra da garoa, a emblemática São Paulo, centro gastronômico brasileiro. Impossível não se encantar com a miscelânea de ingredientes. Uma passagem rápida pelo Mercado Municipal, o primeiro teste da gula, o famoso pastel do Hocca Bar. De volta ao aeroporto, enfim o embarque para mais quatro horas de vôo até o Oceano Pacifico. Mesmo chegando próximo de meia-noite, já dava para perceber que havia desembarcado em um lugar diferente.

Primeiro Dia

O primeiro passeio à pé pelas ruas do bairro de Miraflores já demonstrava que estava em uma cidade onde a gastronomia faz parte do dia-a-dia de todos. Cafés abertos, pessoas circulando com suas garrafas de chá mate. Me deparo com um supermercado, Vivanda. Já era possível visualizar a diversidade de ingredientes agrícolas: milhos, feijões, frutas, verduras e legumes. Passava de meio-dia fui para o evento. O MISTURA 2016 reuniu tudo que se relacionava à gastronomia peruana. Distribuído em um espaço de mais de 200 mil m², a estrutura comportava diversas tendas onde empresas e pequenos produtores expunham seus produtos. A variedade é enorme, pimentas, frutas, queijos, pães, a lista é infinita !

Logicamente a fome já batia, então fui em busca das primeiras impressões de degustação, o que seria uma tarefa difícil diante de tantas opções. A primeira escolha foi um cordeiro assado em pedras de granito, PERFEITO! Desmanchava na boca. Depois uma parada para conhecer a “breja” local, a Cuzqueña, uma red larger muito saborosa. Segundo tempo da comilança, devorei um hambúrguer de linguiça de chouriço com maionese de pimentão vermelho, confesso: foram dois !!!!! Divinamente bom demais da conta. Para fazer o jejum, um passeio por toda a extensão da feira, mais de 800 metros de comprimento, os pés sofrem um pouco, mas quando você lembra, vem mais comida esquece rápido. Então parti para o terceiro tempo, desta vez um prato de food truck, um segmento que é forte em Lima. Degustei um Frango Frito com batatas rústicas e maionese. NOTA: Batatas (pappas como é chamada) faz parte da base alimentar do peruano. Mais um passeio, assisto o final da palestra do chef mexicano Emílio Macias, conhecido por mesclar elementos rústicos da culinária asteca com gastronomia molecular. Muito para um dia não acham ?

Segundo dia

Tirei o dia para conhecer a cidade de Lima. Um tour por pontos turísticos seculares que contam a história do povo pré-colombiano. Palácios, Museus, Centro Histórico e principalmente Igrejas e Conventos. Sendo um povo de formação católico, a presença de manifestações Jesuítas, Franciscanos é forte. Visitei a Praça das Armas onde se concentram os mais históricos prédios de Lima. Uma parada especial no antigo prédio da Câmara de Comércio onde ficam guardadas peças em ouro da era pré-colombiana até os Incas com valor histórico incalculável. Terminei o tour no Mosteiro de São Francisco de Assis, local onde não é possível fotografar internamente mas descrevo como um lugar cheio de histórias que finaliza com uma visita ás catacumbas, repletas de ossadas. No inicio da tarde, segui para o Shopping Larcomar, um shopping localizado no paredão da orla de Miraflores, a visão é deslumbrante. Avistamos a orla pelo alto, para que sofre de vertigem, um prato cheio. Falando em prato…..  Almocei no Restaurante Popular e atesto, um dos melhores risotos que já comi na vida. Perfeito até demais. Logicamente, estou no Perú e como não se embaranhar à doses de drinks à base de Pisco (chacaça peruana feita a partir de uvas), tudo com moderação (até onde eu lembro). Á noite matar a saudade dos tempos da Terra do Tio Sam, uma passagem pelo KFC e um balde de asas de frango frito.

img_0336

Esses são os dois primeiros dias em Lima, nos próximos post irei descrevendo as outras aventuras gastronômicas no território peruano. Certeza de mais descobertas.

Para não perder a tradição, duas receitas típicas locais:

Ají de Galinhaajidegallina-608

Ingredientes:

Um peito de frango

Uma folha de louro

2 xícaras de mistura de verduras (cenoura, aipo e alho-porró)

Um pão francês

2 xícaras de leite

¼ de xícara de azeite

Uma cebola picada

4 dentes de alho picados

½ xícara de creme de ají amarelo

¼ de colher (chá) de cominho

½ colher (chá) de açafrão

¼ de xícara de nozes-pecã torradas e picadas

½ xícara de queijo parmesão ralado

4 batatas amarelas cozidas, em rodelas

4 azeitonas pretas

2 ovos cozidos

Sal e pimenta

Modo de Preparo

Cozinhe o peito de frango com sal, louro e verduras; separe o caldo e desfie o frango. A seguir, despedace o pão e deixe-o de molho alguns minutos numa xícara de leite, e finalmente bata-o no liquidificador. Reserve este preparado.

Por outro lado, prepare em uma panela o molho com cinco colheres de azeite, cebola, alho, creme de ají amarelo, comino e açafrão. Refogue adicionando ao molho pequenas quantidades do caldo de frango, e acrescente o pão batido no liquidificador. Cozinhe, mexendo constantemente e adicionando o caldo.

Tempere, acrescente o leite restante e deixe cozinhar em fogo baixo. Adicione o frango desfiado, as nozes-pecã e espalhe por cima o queijo parmesão. Espere até adquirir consistência. O ají de frango é servido sobre rodelas de batata, acompanhado de azeitonas e ovos cortados em quartos

Pisco Bebêtragos-con-pisco-2

Ingredientes

2 doses de pisco

2 colheres de sopa de leite condensado

2 colheres de sopa de açucar

Suco de laranja

Gelo

Modo de Preparo

Colocar todos os ingredientes em um liquidificador, bater e servir imediatamente em um copo alto

 

Fonte: http://www.imujer.com

http://www.mistura.pe

http://www.larcomar.com

http://www.cocineroperu.com