Patas para que te quero!

caranguejo-amarelo-7Muita gente quando olha para ele sente medo, mesmo depois de estar cozido, sua imagem cria uma cautela, será que ele vai me beliscar? Este é o Caranguejo, crustáceo abundante no litoral brasileiro, em áreas de mangue, de Norte à Sul.

De várias espécies, Centolla, King Crab, Caranguejo-Uçá, Caranguejo-de-Malta, Sapateira, espalhadas pelo mundo, a sua carne sempre foi apreciada. Em algumas delas com sabor forte, em outras, uma suavidade peculiar. O seu consumo remete ao século IX, no Mar do Norte pelos noruegueses. Sua captura sempre foi associada a um jogo de “Gato e Rato” pois é feita através da busca do caranguejo em sua toca ou no mar aberto, atraindo-o para uma armadilha.

filename-dsc02580-jpgAtualmente alguns países tratam a pesca do caranguejo como um negócio extremamente rentável. Países como Chile, Irlanda e Canadá, tem na pesca uma boa faixa econômica, uma vez que a carne e a casca das várias espécies podem ser aproveitadas. O Chile, por exemplo, tem na Centolla, uma atração turística gastronômica. Na Irlanda, a pesca chega a ser tema de reality-shows em canais de Tv pagos.

No Brasil, o consumo do caranguejo está associado às nossas praias. Sol, cerveja e uma boa e generosa panelada de caranguejo, são requisitos irresistíveis para um final de semana.

Porém, todo ônus tem bônus. O valor pago pela unidade do caranguejo nos bares e restaurantes praianos, são exorbitantes se comparados ao valor pago ao “catador de caranguejo”, trabalhador que são em quase sua totalidade, formado por pessoas de baixa renda e que sobrevivem com os míseros centavos recebidos das mãos dos atravessadores. Felizmente o Governo Federal, impute à este trabalhador um auxilio-salario durante o período de defeso, onde sua pesca é proibida.

É impossível não resistir ao seu sabor, do caranguejo temos muitas receitas, a mais tradicional leva o próprio crustáceo inteiro no cozimento. Podemos degustar em casquinhas, catados, fritadas, a patinha à vinagrete. Mas vamos mudar um pouco, que tal uma massa e a carne de caranguejo ?

Fettuccine de Caranguejofettuccine de caranguejo

INGREDIENTES
360g fettuccine
80g xícara de manteiga
60g de farinha de trigo
180ml de leite integral
120g de carne de caranguejo catada
120g de cubos de frango cozido
100g de queijo parmesão ralado
120g de brócolis frescos
60g de abobrinha picada
2 colheres de chá de salsa fresca picada
Sal e pimenta a gosto

Modo de Preparo
Cozinhe o fettuccine de acordo com as instruções da embalagem. Enquanto isso, em uma panela pequena, derreta a manteiga. Junte a farinha até ficar homogêneo. Gradualmente coloque no leite. Leve para ferver. Cozinhe e mexa por 2 minutos ou até engrossar. Acrescente o restante dos ingredientes; aquecer bem. Escorra fettuccine; cubra com a mistura de caranguejo.

O Festival do Caranguejo

img_7945A cidade de Aracaju tem como tradição gastronômica, o consumo de caranguejo. Como dizemos: é cultural as pessoas se prepararem para sair à noite para a orla de Atalaia e comer caranguejo. Por causa deste habito, a Prefeitura de Aracaju organizou o 1º Festival do Caranguejo que acontece a partir do dia 27 de agosto e vai até o dia 7 de setembro na Orla da Atalaia em Aracaju. Mais de 30 restaurantes prepararam receitas com o crustáceo e vão expor em uma estrutura montada no estacionamento da Passarela do Caranguejo.

WP_20150827_21_04_23_ProEm parceria com a Prefeitura de Aracaju, a Universidade Tiradentes desenvolveu um guia turístico do caranguejo e do festival. Elaborado por mim e as Professoras Katia Viana e Isabelle Brito, o guia fala um pouco da cultura do consumo do caranguejo em Sergipe, o passo-a-passo de como degustar e as receitas dos restaurantes que participam do Festival. O guia conta com toda a arte gráfica elaborada por Marcelo Freitas.

 

Fontes: http://g1.globo.com/se/sergipe/noticia/2015/08/festival-do-caranguejo-comeca-nesta-quinta-feira-na-orla-da-atalaia.html