GASTRONOMIA SEM FRONTEIRAS – UM CHEF BRASILEIRO EM TERRAS ESTRANGEIRAS

Com o crescimento da gastronomia em todo o mundo, a possibilidade de se conhecer a cultura culinaria de um pais sem precisar viajar para este local, tornou-se maior.

!cid_76203500-5424-4B53-911F-017E6102D31AUma das formas está no trabalho feito por chefs. Levando suas origens por onde passa, cada um mostra e deixa um pouco da sua essência. Paulo Martins e Alex Atala levam para as cozinhas sofisticadas do mundo o Tucupi, o Pirarucu, o Jambu. Rodrigo Oliveira e Wanderson Medeiros, os aromas do nordeste para o velho mundo. René Redzepi os sabores exóticos da Noruega. Joan Roca a sutileza da Girona. É inegável que a gastronomia rompeu fronteiras além das terras locais, extravasou as fronteiras possibilitando o mundo conhecer o mundo através da gastronomia.

A gastronomia brasileira não ficaria de fora, varios chefs “brazucas” espalham pelo mundo nossos gostos nossos ingredientes. Os EUA são um dos destinos escolhidos. Nosso “PF” faz sucesso pelas terra do Tio Sam. Essa divulgação tem cara e jeito bem brasileiro, gente guerreira que abandona tudo aqui e se arrisca em busca de uma vida diferente. Em terras estrangeiras chegam em busca de trabalho e um dos meios de vida está justamente em um dos maiores prazeres do povo americano, comer.

Há um bom tempo eu acompanho o paulistano Eduardo Lima que trocou a garô!cid_C746E864-B587-45B3-A1F1-0FA0E6F77E9Aa paulista pelo calor de San Diego/ Califórnia em Julho de 2014 com o objetivo de fazer um curso de gastronomia. Sem grana para pagar um curso profissional, valor que gira em torno de U$60 mil, optou em buscar em uma escola publica, um curso técnico de gastronomia de 6 meses, Por sorte, ao terminar este curso, foi convidado para estudar na Faculdade de Gastronomia da Califórnia, começando no próximo mês de setembro.

Edu, como é mais conhecido, precisava praticar para estar, como ele mesmo almeja, estar entre os melhores, assim foi indicado por uma amiga, para trabalhar restaurante Kettner Exchange comandado pelo chef Brian Redzikowski, famoso por participar de um programa de televisão de gastronomia aqui nos EUA. Como todos na cozinha começam, foi lavar louça, uma semana depois já estava na preparação e depois chegou na cozinha ao lado do chef.

!cid_BFA36A4D-3180-4668-83FF-27D0BE399A00 !cid_89853A74-75E8-433F-95F4-D31EE6279E5D

Hoje Edu Lima chefia sua própria cozinha no Restaurante Samba Brazilian Cuisine, especializado em comida tipicamente e genuinamente brasileira. Uma das suas criações mais conhecidas pelos clientes do restaurante é a tapioca de açaí. Como no caso de Edu, os brasileiros estão mantendo o nosso estilo “tupiniquim” de ter uma culinária de raízes, nossa feijoada, o feijão com arroz. O mundo agora conhece nosso potencial gastronômico, nosso tempero, nosso sabor.
“Se depender de mim, vou dar muito orgulho pro meu país, o Meu amado Brasil.” diz Eduardo Lima

!cid_60348F2A-A814-4750-8015-25365C7FC9A2
Para acompanhar o trabalho do chef brasileiro, siga o Instagram @edugomeslima